Entregas não realizadas, prazos não cumpridos, usuários insatisfeitos, oportunidades de mercado perdidas, executivos pressionando, cobrança, equipe desmotivada. Como fazer para reverter este cenário? Como fazer para conquistar a confiança? Este cenário é muito comum e a “necessidade” de se encontrar um culpado faz a corda arrebentar para o lado mais fraco. Isso vale para uma área de Produto, um departamento de Marketing ou Comercial, para a área de TI ou qualquer outra que trabalhe com entregas ou projetos.

Nem sempre prazos apertados ou impossíveis, falta de definição dos requisitos, mudanças de escopo constantes e falta de comprometimento de outras áreas envolvidas são levados em consideração para se avaliar o melhor direcionamento para o projeto ou produto. Nada! O importante é encontrar logo o culpado e “passar o mico”. A bomba vai estourar na ponta e a ponta é exatamente quem vai fazer a entrega final. Muitas vezes, por mais esforço que se faça, não é possível recuperar o tempo perdido e as entregas não acontecem, ou os prazos são perdidos ou ainda a qualidade passa longe do desejado. O maior problema, porém, é a insistência em repetir esta sistemática. Não vai dar certo! Vai dar problema de novo e mais cobranças e desconfianças sobre quem está buscando fazer as entregas.

Então, para obtermos resultados diferentes, precisamos fazer diferente! É importante olhar todo o processo e comprometer todos os envolvidos, fazendo com que as áreas trabalhem e funcionem de forma colaborativa. Não é fácil na cultura de empresas que ainda insistem em encontrar culpados e execrar os erros e, por isso, o trabalho precisa ser mais profundo. Ele passa por uma transformação e mexe na cultura, nas pessoas, e nos processos, para que todos entendam seu papel e se comprometam com a entrega final como uma equipe, independentemente da área em que atuam.

Parece simples, mas sabemos que não é tão fácil assim. Existem muitas questões envolvidas no ambiente corporativo: política, vaidade, metas dos executivos (normalmente, não convergentes), orçamento e etc., que acabam inibindo o comportamento desejado de colaboração e comprometimento com o mesmo fim. Muitas vezes, as equipes recebem a solução pronta a ser implementada. E este é o pior dos mundos. É muito importante que o time conheça a direção, a estratégia e tenha um propósito. Reunindo as competências corretas e, com o direcionamento adequado, a equipe vai encontrar as melhoras soluções. Ao fazer isso, conquista-se um dos maiores ingredientes do sucesso: engajamento.

O caminho para esta mudança passa por quebras de paradigmas e o uso de formas de trabalho menos intuitivas, que compõem o arsenal existente de novas práticas. Muitas delas são conhecidas como práticas ágeis. Particularmente, prefiro referenciá-las como práticas pragmáticas. Pois elas são objetivas para a entrega de resultados e não trabalham pela forma em si. Muitas vezes, existe mais esforço para se gerir ou controlar o projeto do que o esforço para se realizar a entrega. Quando você dispende muito esforço para manter o projeto dentro do seu roteiro e deixa de focar no que é realmente importante, seguir uma metodologia deixa de fazer sentido.

Estas práticas, desde que passamos a usá-las, trouxe uma nova realidade para as equipes em questão. Várias das práticas pragmáticas ou ágeis são muito simples, mas requerem muita disciplina e processos estruturados para garantir as entregas. Requerem ainda transparência e muita interação entre as áreas envolvidas, que acaba garantindo a participação de todos em prol do objetivo comum. Deixa de ser aquela “linha de produção” que, a cada etapa do processo, uma área passa para outra até finalizar o objetivo do trabalho. Neste tipo de processo, um elo que se quebra estraga toda a entrega final ou a existência de um “gargalo” compromete todo o fluxo. Ao contrário, as novas práticas, ao garantir a participação de todos durante o processo de produção único, garante também a integração do grupo, como uma equipe, com o foco no produto final e comum a todos. Assim, a preocupação deixa de ser a necessidade de se apontar um culpado pela quebra de um elo ou por ser o “gargalo”, mas de se garantir a entrega do grupo como um todo e a colaboração flui.

Estas mudanças culturais, processuais e de foco não estão limitadas, porém, a equipe que será responsável pela entrega final, ali na ponta. Elas precisam ser estendidas e ocorrer em todo o “value stream”, desde seu início nas definições estratégicas e a escolha correta do portfólio (“o que fazer”). Importante que todos passem a entender as mudanças que estão por vir. O foco tem que ser dado no valor a ser gerado pelo que se está entregando. Então, entender como captar este valor e medi-lo passa a ser de grande relevância e chave em todo o processo. A entrega também precisaria ser bem feita (estamos falando da qualidade)… É claro! E é importante ter este fluxo estruturado (o “como fazer”). Mas, a esta altura, o trabalho colaborativo já estaria estabelecido: uma transformação em todos os níveis, através da criação de uma cultura de participação, autonomia, engajamento, responsabilidade, transparência com aprendizado contínuo e muito trabalho em equipe para entrega de valor para o negócio.

Fonte: Administradores.

Leia Também

download

Nos últimos 2 anos temos vivenciado momentos muito desafiadores no âmbito comercial. Por um lado, nossa economia enfraquecida pelos acontecimentos políticos – que consequentemente tiram de nós algumas oportunidades de sucesso nos negócios, os quais, provavelmente, em cenários mais seguros, ocorreriam sem tal instabilidade. Por outro lado, justamente por conta deste cenário desafiador, uma disputa […]
Picart
Você sabe o que é o controle patrimonial, bem como sua importância para um negócio? Trata-se de uma rotina que deve ser feita constantemente e que conta com a ajuda dos responsáveis pela contabilidade da empresa. Apesar de ser imprescindível para o sucesso de um negócio, pouco se fala sobre o tema. Exatamente por esse […]
Gestão-Financeira-Controladoria-e-Auditoria1
Melhorar a gestão financeira de uma empresa deve ser um objetivo constantemente atualizado e buscado pelos empreendedores para garantir o sucesso de seu negócio. Mas ter resultados cada vez mais satisfatórios não depende somente de trabalhar muito e contar com uma boa equipe: apesar de esse ser um bom começo, também é preciso ter planejamento, […]

Av. Milton Campos, 2783 - Centro - Guanhães/MG - CEP 39740.000 - Tel.: (33) 3421-0222