O mercado de trabalho vem mudando demais nos últimos anos, criando mecanismos de remuneração, planos de carreira, benefícios, e inúmeras outras formas de agradar o colaborador, para que assim a engrenagem corporativa possa obter mais resultados internos e externos.

Porém, por outro lado, vemos um número crescente de pessoas que desejam ter o seu próprio negócio e buscar alguns objetivos que o mundo corporativo não estava sendo capaz de gerar.

Agora, imagine um mundo que você pudesse unir os 2 universos, o mundo corporativo e o mundo empreendedor?

Pois é, cada vez mais vemos essa tendência se implementando nas mais diversas empresas, e esse caminho se chama o Intraempreendedorismo.

Mas o que é o Intraempreendedorismo?

É uma modalidade de empreendedorismo praticado por funcionários dentro da empresa em que trabalham, independente do tamanho da mesma. São profissionais que possuem uma capacidade diferenciada de analisar cenários, criar idéias, inovar e buscar novas oportunidades para estas empresas, independente de sua disciplina ou área de atuação interna.

Esse empreendedorismo vem de dentro para fora, baseado na vontade de cada colaborador em fazer a diferença na empresa que ele escolheu para trabalhar.

E por que essa cultura é tão importante?

Já não é uma novidade para ninguém que o lado financeiro não é o fator de maior diferencial dentro de uma corporação, mas sim outros aspectos tais como, se sentir parte da empresa e de sua estratégia.

Desde que esse aspecto foi considerado como um dos mais importantes em pesquisas organizacionais, muitas empresas passaram a criar mecanismos para que esse objetivo virasse uma realidade, mas nem sempre os resultados foram os esperados.

Portanto, a implementação de um processo interno de incentivo a cultura de empreender dentro da empresa, passa a unir pontos estratégicos na retenção de funcionários, valorização da empresa, vestir a camisa, satisfação e um ambiente mais comunicativo e alegre.

Além do diferencial interno, as empresas também farão a colheita de resultados externos, ou seja, os projetos serão elaborados respeitando os limites da empresa, e como foco sempre terão a melhora de processos, ambiente e/ou resultados.

Em um mercado com uma concorrência acirrada como o que vivemos, uma empresa que cultiva e principalmente implementa as boas idéias passa a se diferenciar e crescer nesse meio.

E como uma empresa pode implementar esse processo?

Sem dúvida, o primeiro passo é a mudança de cultura, pois uma empresa não pode achar que esse projeto é o que conhecemos como famoso “Deixe a sua sugestão nessa caixa”, ou seja, esse é um processo que deve estar alinhado internamente entre todo o corporativo para que realmente as sugestões virem realidade através das mãos de quem as propôs.

Além disso, deve existir uma política de premiação que incentive as pessoas a pensarem “fora da caixa”, e cada vez mais vejam as vantagens de participar desse processo, sempre entendendo que esse será um programa complementar, ou seja, não eximindo as atividades oriundas da área de atuação original do colaborador.

Porém, por mais que tudo possa estar alinhado, é necessário uma modificação na base e paradigmas do colaborador, pois durante muitos anos vivemos com os conceitos de empresas que possuíam estruturas que pararam no tempo. É necessário ensinar o mesmo a desenvolver as suas habilidades intraempreendedoras, analíticas, comerciais, e dentre inúmeras outras que poderão fazer com que o projeto saia do papel e se torne um caso de sucesso para todos.

Sem dúvida, esse é um processo que faz o colaborador colaborar com a empresa vestindo a camisa e sempre em busca da mais alta performance.

Fonte: Notícias Empresariais.

Leia Também

declaracao-anual-do-mei-microempreendedor-individual

O dia 31 de maio é o prazo final para a entrega da declaração anual do MEI. Enquanto muitos correm para colocar a documentação em dia, é importante lembrar quais são os principais erros da declaração anual do MEI cometidos pelos empresários. Para evitar que você seja mais um na estatística daqueles que entregam a […]
Imprimir
O micro e pequeno negócio no Brasil movimenta consideravelmente a economia do país, cerca de 27% do PIB brasileiro, conforme dados do SEBRAE. Além de empregarem 52% da população, o que demonstra significativa importância. Mas inúmeros são os desafios destes micro e pequenos empresários. Uma das principais dificuldades enfrentadas por estes portes de empresas é […]
noticia_124836
Tornar-se vendedor em nosso País, na maioria das vezes, acontece por conta de uma necessidade financeira ou por alguma oportunidade inesperada. A verdade é que quando menos você espera, já está vendendo alguma coisa. Diferente de outros profissionais, que estudam e se formam para depois começarem a exercerem suas atividades por formação, como por exemplo […]

Av. Milton Campos, 2783 - Centro - Guanhães/MG - CEP 39740.000 - Tel.: (33) 3421-0222