O Modelo de Gestão é a maneira particular que cada gestor desenvolve para gerir tanto a operação (prestação de serviços ou venda de produtos) quanto a administração da empresa.

Trata-se de um processo evolutivo que amadurece junto com o empresário, que é o responsável por determinar as prioridades de acordo com as necessidades empresariais.

Uma das primeiras necessidades administrativa identificada e implantada é a Gestão Financeira, ou seja, o acompanhamento diário do Fluxo de Caixa, que controla os vencimentos pagáveis e recebíveis. Com esta ferramenta é possível alinhar os pagamentos com os valores a receber, além de prever possíveis descasamentos de caixa, o que permite ao gestor antecipar o que há para receber (em um futuro próximo), ou postergar o que há para pagar (fornecedores, impostos, empréstimos, etc).

Dependendo do tamanho da empresa e com alguma organização, o empresário consegue tomar conta dessa responsabilidade por algum tempo. É importante ter em mente que, nesta situação, o tamanho da empresa não está relacionado ao faturamento ou número de funcionários, neste caso está mais ligado ao volume de dados e informações que são necessários processar e analisar.

De qualquer forma este é um processo que evoluirá naturalmente, e se a empresa prosperar conforme o esperado, em algum momento o empresário precisará de ajuda para gerir o fluxo de caixa, pois os dias serão curtos para atender a toda a demanda empresarial, possibilitando atrasos em pagamentos importantes por esquecimento, ou a não identificação de algum recebimento.

Não ter tempo para realizar as rotinas de fluxo de caixa não é necessariamente ruim, isso significa que a empresa demanda mais e você, empresário está concentrando sua energia no que faz de melhor, gerindo a empresa, ou vendendo, ou fazendo o marketing, em fim, sentir a necessidade de dedicar mais atenção à Gestão Financeira dispara um gatilho que te remete a um próximo nível administrativo e neste momento é preciso tomar cuidado.

Na maioria dos casos é comum acreditar que a falta de tempo para gerir o Fluxo de Caixa é proveniente da falta de software especifico. Existem muitas opções disponíveis no mercado e com preços bem acessíveis, mas não se engane não havendo tempo para alimentar uma planilha de Excel, não haverá para alimentar um software, ou seja, você deverá dispor de tempo para alimentar a ferramenta, ou precisará de uma pessoa que o faça, isso significa que a solução de TI ajudará, mas não fará por você.

Mas e quando a necessidade identificada já superou a gestão financeira? E quando o empresário começa a se questionar em relação à lucratividade de seu negócio?
Você como gestor, percebe um fluxo de caixa saudável, pois vem sobrando dinheiro após os pagamentos, mas esse valor pode ser aplicado? Pode ser distribuído entre os sócios? Ou a empresa necessitará dessa “sobra” para pagamentos futuros?
Você sente a necessidade de posicionar a empresa em outro patamar, pois já sabe onde está, mas quer saber o quanto pode ir além e suas limitações de tempo o estão impedindo de se dedicar mais a isso.

É neste momento que se percebe uma evolução no seu nível de gestor. Você começou a sentir mais segurança com o agora, com este instante e quer começar a prever o futuro da empresa e como consequência o nível de gestão precisa evoluir também!

A decisão de reposicionar a sua empresa sugere que a gestão, que até então era exclusivamente financeira, evoluirá para um modelo de gestão econômica, caracterizada principalmente pelo registro das suas expectativas como empresário e gestor, através de um orçamento que traduzirá em números as metas e determinará as estratégias a serem utilizadas para alcança-las.

Você estabelecerá indicadores eficientes, capazes de sinalizar desvios na execução do que foi planejado. Precisará de pessoas com conhecimento específico te auxiliando na análise dos dados e informações geradas e neste momento ter uma solução em TI agilizará e trará segurança a todo o processo.

O custo por manter esta estrutura pode ser um ponto determinante, como esta é uma decisão que sobrecarregará o fluxo de caixa, o gestor pode considerar que ainda não é o momento de arcar com este custo, o que demostra um raciocínio conservador e coerente, acontece que é possível dar esse passo a mais na escala evolutiva da empresa de maneira consciente e planejada.

Só existe uma coisa pior do que não ter informações para tomar decisões: é tomar decisões com base em informações erradas.

Fonte: Administradores.

Leia Também

declaracao-anual-do-mei-microempreendedor-individual

O dia 31 de maio é o prazo final para a entrega da declaração anual do MEI. Enquanto muitos correm para colocar a documentação em dia, é importante lembrar quais são os principais erros da declaração anual do MEI cometidos pelos empresários. Para evitar que você seja mais um na estatística daqueles que entregam a […]
Imprimir
O micro e pequeno negócio no Brasil movimenta consideravelmente a economia do país, cerca de 27% do PIB brasileiro, conforme dados do SEBRAE. Além de empregarem 52% da população, o que demonstra significativa importância. Mas inúmeros são os desafios destes micro e pequenos empresários. Uma das principais dificuldades enfrentadas por estes portes de empresas é […]
noticia_124836
Tornar-se vendedor em nosso País, na maioria das vezes, acontece por conta de uma necessidade financeira ou por alguma oportunidade inesperada. A verdade é que quando menos você espera, já está vendendo alguma coisa. Diferente de outros profissionais, que estudam e se formam para depois começarem a exercerem suas atividades por formação, como por exemplo […]

Av. Milton Campos, 2783 - Centro - Guanhães/MG - CEP 39740.000 - Tel.: (33) 3421-0222