Voltando na mesma tecla: um dos maiores problemas, que impedem lucros maiores, é a falta de Uma Gestão Bem Feita das atividade do Negócio.

E o primeiro passo para ter uma Gestão Bem Feita é identificar como está a Saúde Financeira do Seu Negócio!

Vamos supor que você, no início da semana, tenha R$ 200,00 e começa a gastar sem nenhum controle. Gasta R$ 10,00 na padaria, R$ 25,00 no supermercado, R$ 15,00 com o sorvete, R$ 50,00 com gasolina e vai gastando…

Sabe o que vai acontecer?

No final da semana, caso o dinheiro dê até lá não vai acreditar que gastou tanto dinheiro e não vai saber nem vai lembrar com o que gastou!

Isso também acontece em todas as empresas quando não há controle das receitas e de todos os gastos.

Você vai imaginar que sua receita é maior do que realmente é, e vai imaginar que seus gastos são menores do que realmente são.

Logicamente o lucro que você acha que tem, você não tem, e começa um ciclo negativo de Gestão Financeira o que pode levar Sua Empresa à Falência.

Além da falta de controle das finanças da empresa, muitas vezes o sócio mistura as Finanças Pessoais com as Finanças do Negócio e tudo vira uma bagunça.

Descontrole total que gera uma grande dor de cabeça nos empresários.

Ganhar dinheiro é difícil, mas Gastar é Muito Fácil.

De um outro lado, existem empresários que até controlam as finanças.

Sabem quanto faturam e quanto gastam, mas isso fica somente a nível de controle e relatórios.

O mais importante, que é tomar ações eficazes para aumentar o lucro de forma consistente, fica para depois.

O empreendedor que procrastina executar o que precisa ser executado, para melhorar as finanças da empresa, tem resultados muito abaixo do potencial que a empresa tem de gerar lucro.

Os consultores que durante anos analisam a saúde financeira das empresas, já identificaram várias causas para esse descontrole que pode levar uma empresa à falência ou não gerar o lucro que o negócio tem potencial de gerar.

Uma dessas causas é a falta de conhecimento e de disciplina do empreendedor de fazer ou delegar para quem sabe fazer o controle financeiro.

Isso significa fazer a conciliação bancária diariamente, controlar o contas a receber, controlar o contas a pagar, fazer análise de retorno do investimento e controlar o estoque.

Foi observado também que em muitos casos o empreendedor até tem todos esses controles feitos, mas não toma ações eficazes para reverter o resultado, pode ser em função de não querer tomar decisões impopulares, não querer ter uma confrontação de demitir um colaborado, não querer ter trabalho de negociar um contrato, não querer ser o chato de ficar cobrando o cumprimento das metas e das ações que devem ser executadas pelos colaboradores, etc.

O empreendedor ao não querer tomar determinadas decisões, acaba comprometendo a saúde financeira do seu negócio, podendo colocar-lo em risco.

Fonte: Notícias Empresariais.

Leia Também

declaracao-anual-do-mei-microempreendedor-individual
O dia 31 de maio é o prazo final para a entrega da declaração anual do MEI. Enquanto muitos correm para colocar a documentação em dia, é importante lembrar quais são os principais erros da declaração anual do MEI cometidos pelos empresários. Para evitar que você seja mais um na estatística daqueles que entregam a […]
Imprimir
O micro e pequeno negócio no Brasil movimenta consideravelmente a economia do país, cerca de 27% do PIB brasileiro, conforme dados do SEBRAE. Além de empregarem 52% da população, o que demonstra significativa importância. Mas inúmeros são os desafios destes micro e pequenos empresários. Uma das principais dificuldades enfrentadas por estes portes de empresas é […]
noticia_124836
Tornar-se vendedor em nosso País, na maioria das vezes, acontece por conta de uma necessidade financeira ou por alguma oportunidade inesperada. A verdade é que quando menos você espera, já está vendendo alguma coisa. Diferente de outros profissionais, que estudam e se formam para depois começarem a exercerem suas atividades por formação, como por exemplo […]

Av. Milton Campos, 2783 - Centro - Guanhães/MG - CEP 39740.000 - Tel.: (33) 3421-0222