Notícias

Cuidado com os “buracos negros” na sua empresa

Você provavelmente já deve ter ouvido falar dos temidos “buracos negros” do espaço sideral, onde tudo é sugado e nada – nem mesmo partículas que se movem na velocidade da luz – pode escapar.

As empresas também criam os seus buracos negros quando recursos financeiros, equipamentos de trabalho, a motivação dos funcionários e, até mesmo a relação com bons clientes, acabam indo para o ralo, sem que ninguém saiba o que realmente aconteceu.

Penso que porque boa parte dos gestores não dá a atenção necessária àquilo que, num primeiro momento, não parece crítico. E, então, quando o problema se torna grande de verdade, não têm muito o que fazer porque foram “engolidos“.

Os entraves na comunicação interna são um exemplo clássico. Atrasos na entrega de produtos, retrabalho, qualidade inferior dos serviços, conflitos entre os departamentos e compradores insatisfeitos costumam vir de mal-entendidos que poderiam ter sido evitados.

Não há como deixar de citar, também, de maneira particular, aqueles colaboradores que são sugados pelas demandas urgentes. Claro que emergências sempre vão existir, mas será que não está faltando um pouco de planejamento? Eles precisam ser capazes de negociar prazos possíveis de serem cumpridos com os clientes, pares e gestores, ou mesmo envolver outras pessoas para auxiliá-los.

Outro buraco negro comum nas organizações tem a ver com os custos ocultos da operação, que impactam os resultados. Enquadram-se nessa categoria as exceções no atendimento, entregas emergenciais e até mesmo a quarentena que não foi cumprida. Não é raro esses custos serem desconsiderados, o que leva os gestores a tomarem ações sem a análise adequada de viabilidade. Por outro lado, existem situações de excesso de controle, que consomem um tempo precioso e não agregam nada.

Chamo a atenção, ainda, para a dependência excessiva de alguns funcionários e, claro, a falta de conhecimento técnico e de gestão. Raramente isso aparece nas planilhas, mas certamente provoca sobrecarga de trabalho para alguns e ociosidade para outros.

Independente do porte ou segmento da sua empresa, é provável que esses e tantos outros buracos negros estejam sugando parte daquilo que foi tão difícil conquistar.

Lembre-se de que as menores fissuras podem indicar grandes problemas. Portanto, pergunte-se constantemente: quais buracos negros merecem a minha atenção neste momento? Se não é possível eliminá-los, como posso diminuí-los? Não fuja das perguntas desconfortáveis, elas são a chave para a busca de soluções e o crescimento do seu negócio.

Fonte: Administradores.

Leia Também

A NFCe (Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica) é um documento que faz parte do sistema público de integração tributária (SPED) entre as empresase todas as esferas do governo (do município, do estado e federal). Esse documento foi criado para substituir as tradicionais Notas Fiscais de Venda ao Consumidor e o EFC (Emissor de Cupom Fiscal). O […]
O Brasil faz parte do grupo de países com a maior média de cobrança de imposto sobre a renda por empresas. Pelo menos é o que indica uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI), em parceira com a consultoria Ernest Young, que visa comparar a carga tributária para as empresas no Brasil com […]
As profissões relacionadas ao atendimento se tornam cada vez mais fundamentais em diferentes segmentos da economia e dos negócios. Porém quem lida diariamente nessa área sabe que “nem tudo são flores” e tem muitas histórias para contar, tanto de situações cômicas como de momentos estressantes e desagradáveis. É necessário realmente ter muito “jogo de cintura” […]

Rua Dr Odilon Behrens 310 - Centro - Guanhães / MG - CEP 39740.000 - Tel.: (33) 3421-0222