O relacionamento entre cliente e empresa é como um casamento e, quanto mais longo e duradouro ele for, melhor será para ambos os lados, pois isso indicará que o resultado de um bom trabalho está sendo alcançado. E para manter a harmonia é preciso ter uma relação de proximidade e confiança entre os dois, com reuniões e feedbacks constantes, sempre com foco na melhoria dos serviços prestados.

A relação entre empresa e cliente não pode se pautar pelo “menor custo”, pois, quando isso acontece, muitas vezes a qualidade do serviço oferecido sofrerá impacto e poderá colocar em risco os objetivos do que se está sendo oferecido. A relação deve se basear sim na expertise da empresa contratada, em como ela ajuda o cliente a solucionar suas dificuldades e, assim, trazer segurança e comodidade.

Existem momentos que essa relação pode entrar em crise e o cliente se mostrar insatisfeito. Antigamente uma insatisfação não passava da rede de amigos de alguém insatisfeito. Hoje, muitas vezes a insatisfação pode ganhar repercussão, principalmente na era digital, onde as redes sociais, além de blogs e sites de defesa do consumidor, fazem com que uma experiência negativa seja conhecida por milhares, em alguns casos, milhões de pessoas.

Toda empresa precisa estar próxima de seu cliente, ouvi-lo constantemente. É preciso criar canais de contato: via aplicativos, via site, via celular/whatsapp e é preciso realizar pesquisas para medir a satisfação dos clientes periodicamente. Quando surge o estresse, é preciso dar atendimento rápido, sério e justo para todos os clientes.

Se houver o erro por parte da empresa é preciso reconhecê-lo e isso chama-se “Transparência”. É preciso que os gestores de uma empresa sejam maduros para entender que quando se erra, é preciso corrigir o erro, com brevidade e humildade. Quanto mais tempo demora-se para reconhecer e corrigir um erro, maior será a insatisfação do cliente e maiores serão as consequências.

Então você pode me questionar sobre a eterna frase “O cliente tem sempre razão”. Em alguns casos sim, outros não.

O cliente tem razão quando a empresa não cumpre o que foi negociado no momento da formalização do contrato, seja de prestação de serviços ou de fornecimento de produto, ou quando a empresa, através de seus colaboradores, pratica algum ato danoso ou criminoso em relação a quem o contratou.

Mas há outros momentos que a empresa está certa, e aí a situação fica delicada, pois muitos contratantes entendem que estão sempre certos, porque pagam pelo serviço contratado. Neste momento, é preciso muito seriedade e profissionalismo para mostrar ao cliente, por meio de provas e conteúdo adequado, o que ocorreu e como isso foi prejudicial para a empresa contratada. Por isso que é importante que desde o início da relação comercial, a mesma seja pautada por um contrato formal, assinado por ambas as partes e que também sempre aconteçam reuniões constantes de trabalho, para que se construa uma relação de afinidade e confiança entre as partes.

No universo acadêmico, e fora dele, existem alguns perfis de clientes, abaixo listo alguns deles:

Cliente decidido: Sabe o que quer e tem conhecimento do produto/serviço. Já sondou os concorrentes e, muitas vezes, está pronto para fechar um acordo.

Cliente indeciso: Ele busca informações que subsidiem sua decisão de compra. Compara diferentes condições oferecidas pela concorrência.

Cliente confuso: Tem uma vaga noção de seus desejos e necessidades. Mostra-se indeciso diante de muitas opções.

Cliente apressado: Dá monstras de agitação e impaciência, consultando muitas vezes o relógio.

Cliente sem pressa: É metódico. Raramente compra por impulso e costuma pensar duas vezes antes de tomar qualquer decisão.

Cliente comunicativo: Deseja apenas estabelecer um simples contato social.

Cliente não-comunicativo: Dificilmente procura estabelecer qualquer tipo de comunicação verbal.

Cliente atento: Costuma prestar muita atenção no que o funcionário diz. Tem o costume de fazer também muitas perguntas.

Cliente desatento: Costuma chegar acompanhado de crianças impacientes ou estar preocupado com algum outro problema. Difícil prender sua atenção.

Cliente que só diz sim: Deseja ser socialmente aceito e frequentemente está disposto a gastar algum dinheiro com quem o receba bem.

Cliente “estrela”: Gosta de atrair as atenções para si mesmo. Faz pedidos absurdos e tentando demonstrar mais conhecimento do que realmente possui.

Cliente negociador: Deseja sentir que está ganhando alguma vantagem extra com a compra.

Fonte: Administradores.

Leia Também

download

Nos últimos 2 anos temos vivenciado momentos muito desafiadores no âmbito comercial. Por um lado, nossa economia enfraquecida pelos acontecimentos políticos – que consequentemente tiram de nós algumas oportunidades de sucesso nos negócios, os quais, provavelmente, em cenários mais seguros, ocorreriam sem tal instabilidade. Por outro lado, justamente por conta deste cenário desafiador, uma disputa […]
Picart
Você sabe o que é o controle patrimonial, bem como sua importância para um negócio? Trata-se de uma rotina que deve ser feita constantemente e que conta com a ajuda dos responsáveis pela contabilidade da empresa. Apesar de ser imprescindível para o sucesso de um negócio, pouco se fala sobre o tema. Exatamente por esse […]
Gestão-Financeira-Controladoria-e-Auditoria1
Melhorar a gestão financeira de uma empresa deve ser um objetivo constantemente atualizado e buscado pelos empreendedores para garantir o sucesso de seu negócio. Mas ter resultados cada vez mais satisfatórios não depende somente de trabalhar muito e contar com uma boa equipe: apesar de esse ser um bom começo, também é preciso ter planejamento, […]

Av. Milton Campos, 2783 - Centro - Guanhães/MG - CEP 39740.000 - Tel.: (33) 3421-0222