Em projetos corporativos onde trabalhamos com coaching de equipe, comunicação, liderança e outras relações interpessoais, nos deparamos insistentemente com um aspecto característico que como diz o ditado popular – “só muda de endereço”.

A ausência do silêncio.

Em nossas interações diárias, sejam elas no trabalho ou na nossa vida pessoal, dificilmente nos lembramos de silenciar. Ao ouvir nosso chefe, nosso cliente, nossos pares, estamos automaticamente formulando em nossa cabeça uma resposta, uma solução, uma alternativa…ou seja, estamos trazendo à tona nossos julgamentos – e prontos pra dar uma resposta, não dando chance para o silêncio. Nestas respostas rápidas, já estamos “prevendo” o que nosso colega vai dizer – e certo ou errado – a verdade é que mal conseguimos ouvir o resto do discurso.

No silêncio é possível criar. É possível refletir. É permitir espaço, entre o momento que seu cérebro recebe a informação até o momento da sua fala. É permitir que revisitemos nossos julgamentos, e olhemos para eles com outra perspectiva.

Pergunte-se, por que devo silenciar? Você vai encontrar muitas respostas, mas aqui estão algumas razões pra trazer esta prática pro seu dia-a-dia:

1) Estimular e praticar sua presença: estar presente significa estar com o outro na escuta ativa, se você está julgando ou preparando sua resposta, acredite…você não está presente!

2) Encontrar novas soluções: na resposta de bate-pronto, sem o silêncio, nossas soluções normalmente acessam os mesmos locais de informação no nosso cérebro – logo – se você praticar respirar, escutar ativamente e dar espaço pro silêncio, seu cérebro irá se comunicar com outras informações ali guardadas.

3) Melhorar a comunicação: SIM!!!! Ao silenciar, você dá espaço pro outro, você julga menos, está mais presente, e demonstra como está engajado com aquela conversa e disposto a compartilhar ideias, soluções, perspectivas, ou apenas ouvir.

Aprendemos desde cedo a corresponder com uma resposta, um comentário, uma sugestão – e este comportamento já é comum dentro de nossos relacionamentos, no entanto, basta consciência e atitude pra mudar. Qual desses você vai praticar hoje?

Fonte: Notícias Empresariais.

Leia Também

declaracao-anual-do-mei-microempreendedor-individual

O dia 31 de maio é o prazo final para a entrega da declaração anual do MEI. Enquanto muitos correm para colocar a documentação em dia, é importante lembrar quais são os principais erros da declaração anual do MEI cometidos pelos empresários. Para evitar que você seja mais um na estatística daqueles que entregam a […]
Imprimir
O micro e pequeno negócio no Brasil movimenta consideravelmente a economia do país, cerca de 27% do PIB brasileiro, conforme dados do SEBRAE. Além de empregarem 52% da população, o que demonstra significativa importância. Mas inúmeros são os desafios destes micro e pequenos empresários. Uma das principais dificuldades enfrentadas por estes portes de empresas é […]
noticia_124836
Tornar-se vendedor em nosso País, na maioria das vezes, acontece por conta de uma necessidade financeira ou por alguma oportunidade inesperada. A verdade é que quando menos você espera, já está vendendo alguma coisa. Diferente de outros profissionais, que estudam e se formam para depois começarem a exercerem suas atividades por formação, como por exemplo […]

Av. Milton Campos, 2783 - Centro - Guanhães/MG - CEP 39740.000 - Tel.: (33) 3421-0222